Hotel desencadeou procedimentos de desinfeção após legionela – Em CHAVES

O hotel Aqua Flaviae, em Chaves, informou, esta quinta-feira, que desencadeou todos os “procedimentos de desinfeção” da unidade depois do encerramento temporário.

O fecho foi ordenado pelas autoridades de Saúde após a deteção de legionela numa ex-hóspede.

“Importa sublinhar, como referido pela DGS, que não há qualquer risco de contaminação”, frisou a administração do hotel.

Acrescentou ainda que o hotel procede, conforme legislação, “à análise anual do despiste, não tendo até à data registo de qualquer suspeita” e tendo, inclusive, “sido realizadas há pouco tempo análises que deram resultado negativo”.

“Estão a ser desencadeados, por uma empresa devidamente certificada, todos os procedimentos que visam a desinfeção da unidade. O hotel abrirá previsivelmente nos próximos dias”, salientou.

A administração disse estar certa de que se “tratou de um ato isolado” e que sempre manteve “os mais elevados padrões de qualidade”.

Explicou ainda que todos os clientes “estão a ser realojados ou informados de alojamentos alternativos” e que haverá “lugar a devoluções de todos os créditos relativos a pagamentos de reservas canceladas”.

Hotel evacuado devido à bactéria legionela

Os hóspedes do Hotel Aquae Flaviae foram informados, quarta-feira à noite, que não deveriam usar os chuveiros e estes foram retirados dos quartos.

A DGS confirmou que a inspeção à água teve origem num caso de doença do legionário detetado a uma hóspede, que esteve no hotel em maio. “Na sequência da notificação de um caso de doença dos legionários de uma doente internada no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, que permaneceu no Hotel Aqua Flaviae, em Chaves, durante todo o período de incubação, a Unidade de Saúde Pública do ACeS Tâmega e Barroso procedeu ao inquérito ambiental do referido hotel e área circundante, no passado dia 31 de maio”, esclareceu a DGS, em comunicado.

Os resultados emitidos quarta-feira, 8 de junho, pelo Laboratório Regional de Saúde Pública da Administração Regional de Saúde do Norte “identificaram Legionella pneumophila nos vários pontos de colheita”.

“O delegado de saúde do ACeS Alto Tâmega e Barroso desencadeou as medidas consideradas necessárias à minimização do risco, tendo-se procedido ao encerramento do referido hotel”, acrescenta a DGS.

Fernando Matos, de Tondela, está no hotel ao abrigo de um programa do Inatel, integrado num grupo de cerca de 35 pessoas. “Ontem à noite, foi-nos comunicado que foi feita uma análise às águas por causa de uma senhora que, na primeira quinzena de maio, esteve no hotel e logo depois foi hospitalizada. Acabaram por chegar até à água do hotel, fizeram análises e detetaram uma bactéria, mas garantiram-nos que não era legionela”, contou ao JN.

*com Lusa

fonte: jn

 

rodape simply life

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s